sábado, 25 de junho de 2016

SAMBA DE REIS E CHULAS










                                          Roberto Carlos, carinhosamente chamado de Betinho, apelido de infância, era chegado a um samba de reis. Corria três freguesias com seu paneiro afinado para cantar sambas, chulas, batuques e martelos. Fazia dupla com qualquer cantador, na primeira ou na segunda, era ao mesmo tempo baixo, barítono e tenor, embora não tivesse muita consciência destas qualidades vocais e muito menos de suas diversas classificações e técnicas. Tocava da cuia à viola e era bom no repique das palmas. Eu vou, eu vou, que mandaram me chamar. Me dê uma lima da limeira de teu pai.
                              Sambas existiam o ano inteiro, mas de dezembro a janeiro é que choviam convites paras festas reis, comemorado no dia 6 de janeiro, mas que a população estendia por dois meses, celebrando o que chamavam Deus Menino.
                               Um dia chegaram cantando lá em casa, de supetão, sem ninguém esperar. "Oh de casa, Oh de fora, `se menino vai ver quem, são os sambadô de Reis, e quem mandou foi São José"





Nenhum comentário:

Postar um comentário